Critica da Liberdade abstracta N° 5 - C

      Compreendemos como se chegou à actual maxima aberrante: << viver não custa, o que é dificil é saber viver >>.

     Esta relação do individuo moderno com as suas condições de vida ( e com a sua propria personalidade  ) explica perfeitamente a moda actual das teorias sobre a << Liberdade >> da consciencia de si.

      Todavia, esta moda nem sequer é nova. Jà antes de estudarem a alienação economica ( ou as condições praticas da ideologia ), Marx e Engels tinham denunciado esta moda que invadia a Alemanha e, na <<critica critica >> tomava o aspecto dum pensamento audacioso. A " Santa Familia " principio por estas palavras:

      -- O humanismo realista não tem inimigo mais perigoso do que o espiritualismo, ou o idealismo especulativo que, em lugar do homem e do individuo real, coloca << a consciencia >>.

      Assim, esta consciencia fica separada das suas condições praticas, ligando-se a uma pretensa condição humana, que despreza as verdadeiras relações. Porque a classe-dominante e a classe-trabalhadora apresentam o mesmo estado de vasio, no sentido humano desta palavra.

      Ora, enquanto a primeira encontra prazer com esta situação ( tendo-se estabelecido solidamente nela, por saber que esta alienação constitui a força do seu proprio poder e, assim, possuir uma aparencia de existencia humana ), a segunda, pelo contrario, sente-se aniquilada por esta alienação. Ela encontra-se ( como exprimiu Hegel ) << no rebaixamento e em revolta contra esta maneira de ser rebaixada ... >>.

      Portanto, não se pode senão aceitar como uma brincadeira de mau-gosto esta moda de

caracterizar situações tão diferentes pelas mesmas palavras : << consciencia >> e <<Liberdade da consciencia >>.

 Na verdade, o que encanta os ideologos, é ( unicamente ) a aparencia da Liberdade; << a liberdade espiritual, a liberdade teorica, esta liberdade espiritualista que, sobrecarregada de cadeias, imagina-se livre e encontra a sua felicidade na ideia, prejudicando toda a existencia de caracter total >>!!!     

 

( a continuar na proxima Sexta-feira, dia 9 de Março de 2012, em " N° 5 - D " ).

 

Publicamos outros textos, em:

1) http://filosofiaxauteriana.wordpress.com

2) http://polemicando.over-blog.com

3) www.polemicando.net

 

A vossa correspondencia devera ser enviada para:

1) filosofia-xauteriana@numericable.fr

2) ltsc@numericable.fr

3) ltsc@iol.pt

4) pablonodrade@sapo.pt

publicado por filosofia-xauteriana às 15:14 | comentar | favorito