Ora vejamos, agora...N°16

      O HOMEM TOTAL: é ele quem se afirma, se cria, se produz pelo seu proprio trabalho -- o homem que sofre e que goza, o homem apaixonado, o homem activo pensante e conhecedor.

      A realidade natural restituida ao homem ( a realidade restituida ao objecto e ao produto ) introduzindo uma nova relação do sujeito com o objecto, que transforma a dialectica da Liberdade, elevando-a para um nivel superior. Esta relação é essencialmente" pratica " -- portanto, " social e historica ", como Marx mostrou desde 1884.

      Por consequencia, << o homem que tem reconhecido o direito, a politica, etc., leva uma vida exteriorizada, considera esta vida exteriorizada como sendo a sua verdadeira vida >>. A alienação não é teorica e filosofica! Ela traduz-se na pratica social, na vida real dos homens. E na sua vida que o ser humano se encontra prisioneiro, ou iludido por liberdades enganadoras. Portanto, não pode ser uma questão de conciliar teoria com as formas vividas da alienação.

     Contrariamente, com Hegel, a negação abstracta joga um papel particular. O direito, o Estado, a moral existente, a religião, em vez de serem efectivamente negadas, persistem num ultrapassamento especulativo; bastou-lhe comprender! Assim, o sistema tomou a forma duma hierarquia; duma totalidade que, partindo da logica, terminaria na religião e no saber filosofico -- pretendidamente absoluto.

 

   ( a continuar na proxima Quarta-feira, dia 18 de Janeiro de 2012, em " N° 17 " ).

 

 

Paralelamente, publicamos uma espectrografia do Saber ( gnose ) em: http://filosofiaxauteriana.wordpress.com

 

Todos os domingos, abordamos aspectos da actualidade no Site/Blog :

 http://polemicando.over-blog.com

 

Encontra-nos no Facebook em: LiberdadeReal JustiçaSocial

e no Twitter em: pablonodrade1

 

Toda a correspondencia devera ser endereçada para:

a) filosofia-xauteriana@numericable.fr

b) pablonodrade@sapo.pt

c) ltsc@iol.pt

 

publicado por filosofia-xauteriana às 22:30 | comentar | favorito