Estoicismo e Cristianismo (N° 1 )

      Se recorrermos à Historia da Filosofia, deparamos com uma serie de respostas ( ao << problema >> da Liberdade ), com aparencia precisa; entre estas: a Teoria Estoiciana e a Teoria Cristã.

      O Estoicismo, por exemplo, não se contenta a responder ( ou mesmo a procurar responder ) ao problema-geral sobre a Liberdade -- ele diz o que é preciso fazer para se ser livre.

      Segundo a filosofia e a moral do Estoicismo, é preciso distinguir aquilo que depende, e aquilo que não depende de nos. Aquilo que não depende de nos pertence ao destino, que devemos aceitar e, mesmo, amar como tal. Os nossos desejos e os nossos pensamentos, dependem de nos. O Homem ponderado e livre presta atenção e limita os seus desejos. Os loucos, os << alienados >> desejam aquilo que não depende deles; dependem, portanto, de << outros >> ( e não deles proprios ), indo cair na paixão e na infelicidade. O Homem livre, o Ajuizado, não depende senão de si mesmo, atingindo a << autarcia >> e a serenidade.

 

      Quanto ao Cristianismo, duma maneira parecida, propõe que cada homem deve libertar-se das paixões, dos desejos carnais, a fim de viver para a << alma >> e para a ideia do << alem >>.

      Aqui, assim, a reflexão sobre a morte funda a Liberdade.

      Os eleitos, libertam-se; os homens das trevas, do pecado, do mal ficam prisioneiros do corpo e da tripla << libido >>: libido sciendi, sentiendi, dominandi.

 

      Estes dois conceitos da Liberdade, têm a particulariedade de terem surgido num determinado momento da Historia e que, entretanto, eles propuseram uma solução ao problema do homem: um tipo humano, uma via, um modelo de vida espiritual.

 

     ( a continuar na proxima Segunda-feira, dia 12 de Dezembro de 2011, em " N° 5 " ).

 

     A consultarem tambem http://filosofiaxauteriana.wordpress.com

 

     Vosso correio para: filosofia-xauteriana@numericable.fr

publicado por filosofia-xauteriana às 03:06 | favorito