Critica da Liberdade abstracta N° 4 - A

       Uma vez constituidas as classes, agrava-se a alienação real e a mistificação ideologica.

      Com efeito, necessariamente, uma das classes ( presentes ) torna-se dominante: << A classe que tem à sua disposição os meios de produção material dispõe assim, igualmente, dos meios de produção espiritual >>. Seja, tempo disponivel para pensar e procurar a verdade, na medida em que os instrumentos lhe permitam efectua-la e, assim, tornarem eficazes essas procuras -- na actualidade: as impressoras, os jornais, os radios, as televisões, a internet, etc.

     

      << Os pensamentos dominantes não são mais do que a expressão ideologica das relações materiais dominantes, ou relações dominantes concebidas na forma da pensamentos >>. Estas relações dão o "conteudo " das ideologias, estando a forma determinada pelo grau de abstracção atingido pelos << pensadores >>. Os reais conhecimentos que eles possuem, tornam ainda mais complexa a situação. A ideologia apresenta, quase sempre,  uma mistura dificil de se analisar, tanto de realidade e de verdade ( tecnicas, conhecimentos ) como de interpretações tendenciosas.

       As ilusões ideologicas agravam-se pelo facto que << a divisão do trabalho, que nos apareceu como uma das fases principais da Historia, manifesta-se igualmente na classe dominante, como divisão do trabalho espiritual e do trabalho material; de modo que, nesta classe, uns constituem os seus pensadores  ( os seus ideologos activos, que montam a sua industria de fabricação de ilusões desta classe e sobre ela propria ) , enquanto os outros se comportam de maneira mais passiva, mais recetiva a estas ideias e a estas ilusões -- porque, na realidade, são membros activos da classe em questão e que dispõem de pouco tempo para se consacrarem à fabricação das ilusões e das ideias >>.

       Esta separação, que pode ir até à hostilidade entre os dois grupos, acentua a ilusão duma independencia da consciencia ( dos pensadores ) e da liberdade de pensar. O pensamento " puro "  acredita-se livre, com toda a sinceridade!

         O conteudo real desaparecido, ou parecendo desaparecer; eis a forma elaborada << livremente >> que surge, parecendo essencial. O pensamento lança-se, então, no vasio das especulações, das abstracções tomadas por realidades-eternas e por verdades-absolutas.

 

( a continuar na proxima Quarta-feira, dia 29 de Fevereiro de 2012, em " N° 4 - B " ).

 

Paralelamente, outras das nossas publicações:

1) http://filosofiaxauteriana.wordpress.com

2) http://polemicando.over-blog.com

3) www.polemicando.net

4) http://filosofiaxauteriana.novelablog.com.br

 

Vossos E-mails poderão ser enviados para:

1) filosofia-xauteriana@numericable.fr

2) ltsc@numericable.fr

3) ltsc@iol.pt

4) pablonodrade@sapo.pt

publicado por filosofia-xauteriana às 16:15 | favorito