AS RAIZES DO IDEALISMO

                                       " As Raizes do Idealismo "

 

 

 

link: http://filosofia-xauteriana.blogs.sapo.pt

 

 

 

os vossos mails para:

 

1) pablonodrade@sapo.pt

 

2) filosofia.xauteriana@live.fr

 

 

podera encontrar-nos no Facebook em: União Dospovos

 

     "            "           "     "   Twitter em: FXauteriana

 

 

                               =============== // ==============

 

 

      A Filosofia Idealista desnatura a real relação entre o pensamento e a sua base material.  Por vezes isto deve-se à vontade expressa de certos filosofos idealistas em alterarem a verdade, dissimulando-a. Tal deformação propositada encontra-se, frequentemente nos nossos dias, entre os filosofos burguêses desejosos ( com a propaganda do idealismo ) de agradarem à classe dirigente. Mas, portanto na Historia da Filosofia, as teorias idealistas frequentemente explicam-se pelo facto de que os filosofos << se tenham perdido honestamente >>, quando sinceramente aspiravam à verdade.

 

      O conhecimento é um processo complexo, com multiplos aspectos. Esta complexidade implica sempre a possibilidade de exagerar, de considerar em absoluto um dos aspectos, de torna-los como coisa independente e até autonoma. Eis como procedem os filosofos idealistas!!! Por exemplo ( como jà explicamos ), os adeptos de Mach e os outros idealistas subjetivos levantaram ao absoluto a afirmação que todos os nossos conhecimentos do Mundo ( que nos rodeia ) nascem de sensações que se destacariam dos objetos materiais, fontes de sensações -- daqui a conclusão idealista  pela qual " fora das sensações, nada existe no Mundo ".

 

      O conhecimento implica ( SEMPRE ) a possibilidade da imaginação se afastar do real, de substituir ligações fictivas pelas reais. A tendencia para não se vêr senão um lado das coisas, assim como o subjetivismo, são as raizes gnoseologicas do idealismo.

 

      Ora, para que estas raizes alimentem uma " planta " , para que os erros do conhecimento se encarnem num sistema filosofico idealista ( que se ataca ao materialismo e mesmo à Ciencia Materialista ), são necessarias certas condições sociais, é necessario que estes erros sejam proveitosos a determinadas forças sociais que lhes dão apoio. Um conceito minguado e o subjetivismo do conhecimento do Mundo conclui-se no pantano idealista, onde este conceito é << consolidado pelos interesses das classes dominantes >>: senhores e escravos, feudais ou burguêses. Eis as raizes de classe do idealismo!!!

 

      O caracter reaccionario do idealismo filosofico manifesta-se ( NITIDAMENTE ) nas suas relações com a teologia, com a religião. Todo e qualquer idealismo filosofico é, em ultima analise, uma subtil defesa da teologia, do clericalismo. Mesmo que o idealismo filosofico não apresente abertamente a religião, ele coloca-se ( INVARIAVELMENTE ) no mesmo terreno. Aqui esta porque a " igreja " sempre se mostrou hostil ao materialismo e condenou os seus representantes sempre que teve essa oportunidade.

 

 

( Na proxima Quarta-feira, dia 17 de Setembro de 2014, iniciaremos o tema: " A FILOSOFIA BURGUESA CONTEMPORANEA ).

publicado por filosofia-xauteriana às 00:50 | favorito