Tentativa para criar uma << terceira >> via filosofica ( Parte N° 1 )

 "TENTATIVA PARA ABRIR UMA  << TERCEIRA >> VIA EM FILOSOFIA " ( Parte N° 1 )

 

 

link: http://filosofia-xauteriana.blogs.sapo.pt

 

 

Correspondencias para:

 

1) pablonodrade@sapo.pt

 

2) filosofia.xauteriana@live.fr

 

3) filosofia.xauteriana@gmail.com

 

 

                            ---------------- // ------------------

 

 

      Paralelamente às teorias idealistas que, abertament proclamam que a consciencia é o fundamento do Mundo, ha outras que procuram camuflar o seu idealismo dizendo-se superiores ao materialismo e ao idealismo, e declaram que constituem uma << terceira via >> da Filosofia. Este é o caso do " Positivismo ".

 

      Esta corrente filosofica surgiu na primeira metade do seculo XIX e é, hoje, uma das mais importantes nas mentalidades da burguesia; assim como no seio de numerosos sabios.

 

      O " positivismo " proclama " que todas as antigas filosofias são metafisica, baseando-se ( para tal ) em raciocineos estéreis, escolasticos, quanto às questões que escapam à experiencia e que são inacessiveis à Ciencia. Trata-se, especificamente, do problema fundamental da filosofia: " qual é o primeiro dado, a natureza e a consciencia " ? Ora os " positivistas " dizem que a Ciencia não deveria ocupar-se com " factos " acessiveis à observação, sem procurar mais alem um fundamento material ou espiritual; que a filosofia que pretende descobrir um tal fundamento é vã; que a Ciencia deveria ignorar a Filosofia, porque a Ciencia seria jà ( por ela mesma ) uma filosofia.

 

      Os " positivistas " declaram que não são materialistas nem idealistas, que se debruçam no estudo dos factos empiricos, que são homens de ciencia. Todavia, este posicionamento conduz ao idealismo!!! Saindo do problema fundamental da filosofia, declarando que a Ciencia não o pode resolver, os " positivistas " desprendem-se du Mundo-material, fecham-se no quadro das suas consciencias -- seja, regridem para o " idealismo subjetivo ".

 

      Ainda outra prova reside numa realidade que eles tanto gostam de falar: << os factos >>; " factos " que incorporam nas " percepções ". Eles garantem que apenas as nossas sensações e as nossas percepções representam os dados imediatos que merecem ser estudados. 

 

      Estes filosofos têm repetidamente dito que se consideram acima do Materialismo e do Idealismo. Na verdade, situam-se no campo idealista e atacam o Materialismo; tratam o Materialismo de " metafisica ". Ora quando os materialistas afirmam que o Mundo existe  exteriormente à consciencia, para os " positivistas " isto é uma extrapolação aos << limites da experiencia >>. Sera necessario demonstrar o absurdo de tal acusação?  A concepção materialista do mundo objetivo material jorra da pratica e da experiencia universal da humanidade.

 

      O Materialismo Filosofico Marxista é adversario de qualquer metafisica -- mesmo das metafisicas que dissertam sobre " essencias " imaginarias; combate a metafisica do idealismo, que inventa um fundamento << ideal >> do Mundo, assim como o das " igrejas " que pregam a existencia de " deus " e da imortalidade da alma. O Materialismo Marxista recusa tambem as tentativas do " positivismo " em pretender designar enquanto metafisica a tèse pela qual o Mundo-material existe fora da nossa consciencia. Deduz-se ainda que o " positivismo " aponta aos outros as suas proprias taras. Ao atacar com a pretendida << metafisica do materialismo >>, o " positivismo " esta introduzindo, subrepticiamente a metafisica do Idealismo Subjetivo.

 

(Leia a " Parte N° 2 ", Quarta-feira, 18 de Junho de 2014 ).

publicado por filosofia-xauteriana às 17:49 | favorito